Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Região

Diretor de site é ameaçado de morte por secretário legislativo



Uma discussão envolvendo o diretor geral do site NMT, Francisco “CHICO” Oliveira, e o advogado Eduardo Weigert Duarte, atual Secretário Legislativo de Administração da câmara de vereadores de Rondonópolis na tarde desta quarta feira (30) está movimentando os comentários em vários locais da cidade.

Segundo o boletim de ocorrência registrado pelo diretor do site, foi relatado que estava a trabalho na câmara municipal de Rondonópolis, quando teria sido abordado por Eduardo Duarte, onde o mesmo teria chamado pelo nome e que o ameaçou dizendo que iria mata-lo, ainda segundo o mesmo B.O. o ocorrido teria sido presenciado por um servidor da casa de leis de nome Fabiano.

Em manifestação sobre o caso, o secretário legislativo de administração Eduardo Duarte, que explicou a situação de outra forma, segundo ele “Chico”, há muito tempo vem tentando denegrir a sua imagem e causando problemas com matérias infundadas.

“Na verdade quem me ameaçou, foi o Chico eu mesmo diante de todas as inverdades já veiculadas, jamais havia registrado uma ocorrência ou acionado a justiça. Depois que eu registrei um boletim de ocorrência ele fez o dele, irei dar encaminhamento ao processo contra esse cidadão onde todas as coisas serão então esclarecidas na justiça”. Disse Eduardo.

A repercussão

Não é de hoje que Chico e Eduardo se estranham, afinal o advogado participou da gestão de Percival Muniz na prefeitura de Rondonópolis e o diretor foi oposição à gestão. Ate ai tudo bem ninguém e obrigado a pensar igual, no entanto varias matérias veiculadas sobre Eduardo parecem ter tomado o “cunho pessoal”, o que gerou uma indignação por parte do advogado.

O fato de ontem é apenas uma gota d’agua em um copo que estava prestes a transbordar, este é o segundo caso envolvendo ameaças a Chico oliveira em uma mesma semana.

Na terça feira (29) uma matéria veiculada no site do qual e diretor, informou que um jornalista de Cuiabá não gostou da forma como foi abordado o assunto envolvendo o Emanuel pinheiro o prefeito que apareceu em imagens comprometedoras ainda quando era deputado, e foi incluída na delação premiada de Silval Barbosa.

O caso deverá ter maiores desdobramentos, pois segundo informou Eduardo, irá ajuizar uma ação contra Francisco Oliveira.

Com informações do Marreta Urgente.



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News