Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Brasil - Região

Índios Xavantes da aldeia três estrelas realizaram a 3º edição de luta Wa´i



Os índios xavantes da aldeia três estrelas passaram o domingo, 28, em festa. A aldeia que conta com 30 índios, fica sentido Paranatinga. São 85 quilômetros de Primavera do Leste. Como forma de confraternização entre a comunidade e convidados, foi realizado mais uma edição de luta Wa´i entre homens.
O cacique da aldeia, Carmine Tserehisra, disse que a luta é costume da cultura indígena. “Nós realizamos a luta que é uma cultura do nosso povo para integrar a comunidade. Também abrimos a nossa aldeia para toda a comunidade, pra que possam conhecer mais nossa cultura”. O cacique disse ainda que a aldeia precisa de melhorias e pede apoio aos governantes para que possam furar poços para ter água para as necessidades básicas e também pede por um técnico de enfermagem e um técnico aisão que é um indígena que cuida do saneamento básico da comunidade.
Para a festa os índios ganharam de alguns moradores de Primavera do Leste e de agricultores, a comida, a bebida e a premiação para os vencedores em primeiro, segundo e terceiro lugar na luta. Além da participação de 10 índios xavantes, alguns convidados e visitantes participaram da luta.

O vereador Luis Costa (PR) esteve presente prestigiando a festa indígena e também não hesitou em participar da luta. “Acho interessante à cultura indígena, é importante compreendermos o modo como eles vivem. É uma cultura diferente da nossa, eles vivem de forma diferente do homem branco, estou aqui para prestigiar e também ajudar no que for necessário. Sou favorável as politicas indígenas, e precisamos fortalecer a cultura e também inserirmos os índios em nossa sociedade”.
O deputado federal, Valtenir Pereira (PMDB), esteve junto com representantes da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) de Mato Grosso, acompanhando o evento e conversando sobre melhorias para as aldeias da região. “Nós lutamos para o desenvolvimento, étnico, sócio e econômico dos indígenas, precisamos melhorar a sustentabilidade desse povo. Precisamos dar condições preservando a cultura indígena. Eles precisam de apoio para conseguir seu próprio sustento, utilizando recursos da natureza. Hoje o repasse para a FUNAI trabalhar com os índios no Brasil é de R$100 milhões de reais por ano, e esse valor é pouco para o tanto que temos ainda que fazer. Ultimamente temos fortalecido a saúde indígena, em todo o País, eles precisam de acompanhamento”.
A aldeia fica no território do município de Novo São Joaquim, e todos os pedidos realizados pelo cacique para melhorar as condições da comunidade indígena serão encaminhados para o Prefeito da cidade. O deputado federal, Valtenir Pereira e o vereador, Luis Costa, se comprometeram em ajudar, com as necessidades existentes.
A Cruz Vermelha de Primavera do Leste esteve presente com seus voluntários para prestar apoio à cultura e ajudar o povo indígena com suas necessidades básicas. Durante o evento os voluntários brincaram com as crianças, conversaram com as famílias, e distribuíram lanches. Após a festa, ainda os visitantes foram em mais duas aldeias, a Imaculada Conceição e a Volta Grande. Todos os índios destas comunidades foram ouvidos pelos representantes políticos, pelo representante da FUNAI e receberam alimentos da Cruz Vermelha.

JPMT.COM.BR



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Mulher confessa homicídio do esposo e mistério termina sobre desaparecimento


O delegado Flávio Leonardo, responsável pela investigação do desaparecimento de Edvan Moreira, falou sobre o homicídio e forneceu atualizações cruciais sobre o caso. O que inicialmente parecia um mistério envolvendo o sumiço de Edvan, ganhou novos contornos após intensas diligências e avanços nas investigações conduzidas pela Polícia Civil.

Edvan Moreira, residente em uma fazenda a aproximadamente 50 km do centro de Canarana, teria saído para cidade no dia 7, conforme relatos iniciais. No entanto, a descoberta da motocicleta da vítima na própria fazenda, em uma área de mata a cerca de 5 km de distância, levantou suspeitas sobre o desaparecimento.

“Localizamos a motocicleta da vítima em uma área de mata próxima à fazenda onde trabalhava. No entanto, estava claramente evidente que ela havia sido deliberadamente jogada em um rio para dificultar sua localização”, explicou o delegado Flavio Leonardo.

A reviravolta no caso ocorreu quando a esposa de Edvan, após ser submetida a uma nova entrevista como parte das investigações, confessou o homicídio. Ela admitiu ter disparado três tiros contra o marido, ocultando seu corpo e a motocicleta em locais distintos, distanciados da fazenda.

“Após a execução do homicídio, a suspeita utilizou uma máquina para transportar a motocicleta de Edvan e seu corpo para locais distantes da propriedade, em uma tentativa de dificultar a descoberta”, acrescentou o delegado.

A colaboração da esposa de Edvan foi fundamental para a identificação do local onde o corpo foi ocultado. As autoridades realizaram uma inspeção no local indicado, que foi confirmado pela Polícia Técnico-Científica como o local do crime.

Além disso, a polícia está investigando a possibilidade de que a suspeita tenha recebido ajuda para ocultar os objetos e o corpo da vítima, dadas as características do local de descarte da motocicleta.

A arma do crime, uma espingarda, foi apreendida pela polícia como parte das evidências. Agora, as autoridades conduzirão exames de DNA para confirmar a identidade do corpo encontrado e prosseguirão com as acusações de ocultação de cadáver e homicídio contra a esposa de Edvan.

O delegado Flávio Leonardo encerrou a coletiva reiterando o compromisso da Polícia Civil em buscar a verdade e garantir que a justiça seja feita para Edvan Moreira e sua família. O caso continua em andamento, com as autoridades empenhadas em esclarecer todos os detalhes e possíveis cúmplices envolvidos nesse trágico desfecho.

Araguaia FM


Antenado News