Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

A Palavra

Jornal é ameaçado após matéria sobre servidores chamarem ação da Câmara de Pilantragem



Na manhã de terça feira (15), o editor do site A Palavra JPMT.COM.BR, Luis Costa recebeu uma ligação da primeira dama e Secretária Municipal de Assistência Social de Primavera do Leste Sra. Gisele Ferreira, na ligação ele ameaçava entrar com processo de danos morais ao ter sua imagem em um grupo de WhatsApp com nome “Primeira Dama”, onde foi feito vários post e comentários desmerecendo ou menosprezando as ações feita pela a Câmara de Vereadores. No telefonema a secretária manda que retire imediatamente o print do grupo que tenha sua foto, “Tire agora minha imagem desta matéria ou irá sofrer um processo na justiça por danos morais”. Afirma Gisele.

Ainda durante a ligação o editor e vereador afirma a secretária que tudo pode se resolver, “temos meios para resolver os problemas, podendo ser com dialogo e bom senso ou podendo também pela justiça como a senhora está falando, portanto todos tem direito de resposta”. No entanto após ameaçar que iria processar o jornal, a secretaria aos gritos desligou o telefone.

A matéria foi publicada após vereadores apresentarem os prints no telão durante a sessão ordinária de segunda-feira (14), além de exposto, foi comentado e falado por maioria dos vereadores que contam ainda com o recurso da transmissão ao vivo por canal no Youtube, dando visibilidades aos fatos acontecidos na sessão.

O que causa espanto é a característica que alguns possuem de mandar, ditar aquilo que os outros tem que fazer, fatos que podem ser resolvidos com simples dialogo, se torna em brigas e desafetos.  Independente de posicionamento político o Jornal A Palavra prima pela imparcialidade divulgando fatos cotidianos de Primavera do Leste dando sempre direito de resposta não importando quem seja o personagem da notícia.

A primeira dama afirma que o grupo não foi criada por ela é sim leva o seu nome, no entanto o fato ocorreu no grupo com nome “Primeira Dama” e foi divulgado conforme a notícia, deixamos o espaço aberto para o outro lado.



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Mulher confessa homicídio do esposo e mistério termina sobre desaparecimento


O delegado Flávio Leonardo, responsável pela investigação do desaparecimento de Edvan Moreira, falou sobre o homicídio e forneceu atualizações cruciais sobre o caso. O que inicialmente parecia um mistério envolvendo o sumiço de Edvan, ganhou novos contornos após intensas diligências e avanços nas investigações conduzidas pela Polícia Civil.

Edvan Moreira, residente em uma fazenda a aproximadamente 50 km do centro de Canarana, teria saído para cidade no dia 7, conforme relatos iniciais. No entanto, a descoberta da motocicleta da vítima na própria fazenda, em uma área de mata a cerca de 5 km de distância, levantou suspeitas sobre o desaparecimento.

“Localizamos a motocicleta da vítima em uma área de mata próxima à fazenda onde trabalhava. No entanto, estava claramente evidente que ela havia sido deliberadamente jogada em um rio para dificultar sua localização”, explicou o delegado Flavio Leonardo.

A reviravolta no caso ocorreu quando a esposa de Edvan, após ser submetida a uma nova entrevista como parte das investigações, confessou o homicídio. Ela admitiu ter disparado três tiros contra o marido, ocultando seu corpo e a motocicleta em locais distintos, distanciados da fazenda.

“Após a execução do homicídio, a suspeita utilizou uma máquina para transportar a motocicleta de Edvan e seu corpo para locais distantes da propriedade, em uma tentativa de dificultar a descoberta”, acrescentou o delegado.

A colaboração da esposa de Edvan foi fundamental para a identificação do local onde o corpo foi ocultado. As autoridades realizaram uma inspeção no local indicado, que foi confirmado pela Polícia Técnico-Científica como o local do crime.

Além disso, a polícia está investigando a possibilidade de que a suspeita tenha recebido ajuda para ocultar os objetos e o corpo da vítima, dadas as características do local de descarte da motocicleta.

A arma do crime, uma espingarda, foi apreendida pela polícia como parte das evidências. Agora, as autoridades conduzirão exames de DNA para confirmar a identidade do corpo encontrado e prosseguirão com as acusações de ocultação de cadáver e homicídio contra a esposa de Edvan.

O delegado Flávio Leonardo encerrou a coletiva reiterando o compromisso da Polícia Civil em buscar a verdade e garantir que a justiça seja feita para Edvan Moreira e sua família. O caso continua em andamento, com as autoridades empenhadas em esclarecer todos os detalhes e possíveis cúmplices envolvidos nesse trágico desfecho.

Araguaia FM


Antenado News