Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Mudanças estruturais na Regional da Polícia Civil de Primavera do Leste



A Delegacia Regional de Primavera do Leste é responsável também pelos trabalhos em Gaúcha do Norte, Distrito do Salto da Alegria, Paranatinga, Santo Antônio do Leste, Poxoréu e Campo Verde. Toda a demanda era atendida com três delegados destinados as delegacias, mais o delegado regional. Há um mês com o apoio da Polícia Judiciária Civil (PJC) do estado, a Regional de Primavera do Leste ganhou mais um delegado.
“Nós temos uma área muito grande de trabalho para cobrir, e precisávamos de mais um apoio. Este delegado veio para ajudar a desafogar um pouco os trabalhos, principalmente para os delegados que estavam acumulando funções em até três delegacias como responsável”. Pontua o delegado da Delegacia Regional de Primavera do Leste, Rafael Fossari.
As mudanças ocorridas este ano, mudaram a estrutura da Polícia Civil na cidade. O delegado Fernando Vasques, que atuava como delegado regional, agora está na Polícia Judiciária Civil do Estado como diretor de interior. O delegado, Rafael Fossari, que era responsável pela Delegacia Municipal e agora está como delegado regional. Por causa das mudanças nos cargos, a Polícia Civil de Primavera recebeu reforços.
Agora a delegada titular da Delegacia de Roubos e Furtos (Derf), é Anamaria Machado Costa. Quem continua respondendo como delegado titular da Delegacia Municipal é Rafael Diniz, que também responde pelo município de Santo Antônio do Leste.
E hoje o delegado Bruno Morães de Carvalho, que era titular em Paranatinga, foi transferido para Poxoréu como delegado titular e também vai ocupar o cargo de delegado adjunto da Derf de Primavera do Leste.
Para se juntar ao time, a Regional de Primavera ganhou um novo delegado. Pablo Rigo Borges, que atuava na Regional de Guarantã do Norte, e hoje esta como delegado titular em Paranatinga, acumulando a delegacia de Gaúcha do Norte.
Para o delegado regional, Rafael Fossari, as mudanças vieram por conta da necessidade. “Ainda temos muito trabalho pela frente. Com a vinda de um novo delegado vai nos auxiliar muito no dia a dia, mas ainda não é o suficiente”.
Outra novidade, além da chegada do novo delegado, é a vinda do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra) da Polícia Civil na Regional de Primavera do Leste. O grupo trabalha em busca de resposta rápida. Tem um treinamento todo diferenciado e ainda tem um veículo e armamento próprio. O Garra auxilia a polícia no cumprimento de prisão, em buscas e apreensões, com roubos de maiores proporções, cárcere privado, entre outros. O Garra será irá atender toda a regional.
“Estamos selecionando policiais de toda regional para compor o Garra. Eles irão passar por um treinamento diferenciado próprio do grupo. Até julho já teremos implantado o Garra na Regional de Primavera”. Finaliza Rafael Fossari.

Josieli Araújo



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News