Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Região

Piloto e passageiro morrem após avião cair em plantação de soja e pegar fogo



Júlio Cezar Sganzerla (à esquerda) e Rodrigo de Paula Schneider (à direita) morreram no acidente de avião em Querência — Foto: Polícia Militar de Querência/Divulgação

Júlio Cezar Sganzerla (à esquerda) e Rodrigo de Paula Schneider (à direita) morreram no acidente de avião em Querência — Foto: Polícia Militar de Querência/Divulgação

Duas pessoas morreram nesse domingo (11) após a queda um avião de pequeno porte em Querência, a 912 km de Cuiabá. De acordo com a Polícia Militar, as vítimas foram identificadas como Júlio Cezar Sganzerla, de 34 anos, e Rodrigo de Paula Schneider, de 30 anos.

Segundo a PM, o acidente ocorreu no final da tarde na zona rural, a 10 km de Querência. O avião caiu em uma plantação de soja e pegou fogo logo em seguida. O prefixo da aeronave é PP-ZWA.

Piloto e passageiro morreram após avião cair em plantação de soja e pegar fogo em Querência — Foto: Polícia Militar de Querência/Divulgação

Piloto e passageiro morreram após avião cair em plantação de soja e pegar fogo em Querência — Foto: Polícia Militar de Querência/Divulgação

Júlio era o proprietário e piloto do avião. Rodrigo era amigo de Júlio e estava como passageiro da aeronave.

Familiares e testemunhas pediram para que a polícia enviasse caminhão-pipa para conter o incêndio no avião. Enquanto isso, pessoas próximas tentaram apagar as chamas usando extintores e água na propriedade.

Uma enfermeira do hospital municipal foi chamada, mas não houve tempo de socorro. Os corpos foram carbonizados nas ferragens da aeronave.

Avião caiu em Querência e duas pessoas morreram — Foto: Polícia Militar de Querência/Divulgação

Avião caiu em Querência e duas pessoas morreram — Foto: Polícia Militar de Querência/Divulgação

Ainda conforme a PM, o Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) foi comunicado sobre o acidente em Querência e deve apurar o que aconteceu.

A Polícia Civil de Querência foi informada também sobre a queda do avião. A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) de Água Boa, a 736 km de Cuiabá, foi ao local.

Os corpos de Júlio e Rodrigo foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Água Boa.

Fonte: G1 Mato Grosso



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News