Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Região

Após greve de quase 2 meses, Detran amplia atendimento ao público em MT



Greve teve início no dia 11 de setembro e foi encerrada na última quinta-feira (9). Unidades vão funcionar das 9h às 18h, com atendimento ao público até as 17h.

Depois de uma greve de quase dois meses, os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), vão trabalhar em um horário diferenciado a partir desta segunda-feira (13). De acordo com a assessoria do órgão, todas as unidades da instituição vão funcionar, em caráter temporário, das 9h às 18h, com atendimento ao público até as 17h.

A greve teve início no dia 11 de setembro e foi encerrada na última quinta-feira (9). A decisão foi tomada em assembleia realizada pela categoria, após reunião com o governador em exercício, Carlos Fávaro (PSD).

Segundo o Sindicato dos Servidores do Detran (Sinetran-MT), houve acordo com o governador em exercício. Eles cobravam a atualização da tabela salarial. Conforme o sindicato, Fávaro teria reconhecido a defasagem salarial da categoria e firmado compromisso de negociar com os servidores.

Conforme o Detran, o novo horário foi instituído temporariamente até que sejam encerrados os acúmulos de atendimento à população. Todos os serviços já estão disponíveis em todas as unidades do Detran no estado.

Conforme o órgão, as pessoas que tiveram o prazo de transferência do seu veículo expirado no período da greve não terão multa gerada.

Serviços online

O Detran informa ainda que a população também pode utilizar os serviços online de Licenciamento Anual, Permissão Internacional para Dirigir (PID), 2ª Via da CNH e CNH Definitiva. Os serviços são solicitados pelo aplicativo MT Cidadão desenvolvido para Android e iOS. Os documentos podem ser entregues em casa, conforme solicitação do usuário, após o pagamento das taxas. O prazo para entrega do licenciamento é de 72 horas e a CNH em até 10 dias.



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News