Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

cidade

Vereador Luis Costa convida a todos Primaverenses para participar da palestra sobre Ideologia de Gênero



Da Redação

Sábado (27) a partir das 8h da manhã, no plenário da Câmara Municipal, será realizada a palestra com o procurador da república, Guilherme Schelb, idealizador do Programa Nacional de Prevenção da Violência e Criminalidade Infanto-Juvenil (Programa Proteger).

O movimento contrário a Ideologia de Gênero, é uma iniciativa de várias famílias Primaverenses, que tem como objetivo, buscar por meio de leis, subsídios para que esta a ideologia de gênero, não seja propagada nas escolas.

“Quando eu estive na Câmara no ano de 2015, ainda suplente, apresentei um projeto de lei, em que proibia o ensino de Ideologia de Gênero nos livros didáticos das escolas municipais. Infelizmente, há alguns meses o Tribunal de Justiça derrubou por considerar visto de iniciativa. Mas a notícia boa veio em seguida, que em conversa com o prefeito Leo, ainda em campanha, ele se comprometeu com as famílias que lutam contra Ideologia de Gênero, que irá mandar novamente o projeto para a Câmara e assim retirar o conteúdo dos livros didáticos das escolas municipais”. Explicou o vereador Luis Costa (PR).

O legislador fala ainda que a vinda do procurador para o debate é importante, porque precisamos entender mais sobre o assunto. “Guilherme tem propriedade para falar de Ideologia de Gênero. Temos que rever o conteúdo do livro didático. Não podemos expor as diversas formas de sexualidade para uma criança. Na infância é preciso brincar, estudar, ser feliz”.

Luis ressalta ainda que o movimento partiu de famílias cristãs. “A bíblia é muito clara, o menino nasce menino e a menina nasce menina e quando se fala em evangélicos ou católicos, todos temos a opinião de defender a família constituída por Deus, e deixo claro que não temos nada contra a opção sexual de ninguém enquanto adulto, mas precisamos defender, cuidar e proteger nossas crianças, pois não podemos tirar a inocência da melhor fase da vida”.

Inscrição

Pode participar toda a população da cidade. A Palestra será durante todo o dia de sábado. Para ajudar com os custos, o grupo está cobrando R$25 reais pela inscrição individual, e ganha certificado de 8 horas.

As inscrições podem ser feitas na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) que fica no bairro Primavera II, também na Loja de Decoração Salvatori, que fica na Avenida Amazonas, e na Erva Mate Pantaneira, que fica na Avenida Paraná. Informações no telefone (66) 9 9606-9688. Também será feita inscrições no dia.



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News