Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

política

Falta de vagas para consultas odontológicas preocupa vereador Luis Costa



O vereador Luis Costa (PR) durante sessão ordinária desta segunda-feira, 19, explanou o problema enfrentado por moradores relacionado ao atendimento odontológico. Ele salientou que ainda não existe uma resposta definitiva para o problema e que deverá ser amenizado com a inauguração das duas unidades de saúde, do bairro Buritis e Padre Onesto Costa. “Que deverá ser daqui uns dois meses. Fico muito feliz porque essa Casa contribuiu para retomada dessas obras. Eu sei da dificuldade de pessoas que precisam dormir na fila a espera de uma vaga e acho isso, sinceramente, um absurdo, mas é a realidade de nossa cidade, que deverá ter melhorias”, afirmou.

Ele também comentou sobre a visita dos Tailandeses a Primavera do Leste, que procuram um município para investir na criação de indústria. “Primavera do Leste é uma potência econômica, expande a cada dia na agricultura, mas tendo a industrialização a geração de emprego e renda será bem maior. Fico feliz em ver nosso município na rota do progresso”, disse.

O parlamentar também comentou da visita feita ao bairro Guterres. “Conversei com a responsável pela construtora que fez as residências. Muitos reparos estão sendo garantidos por eles. Ao contrário do que todo mundo pensa, vários problemas existentes no residencial é de ordem da construtora que, inclusive, tem dado a garantia dos reparos, como a questão dos vazamentos que geram contas de água com valores altos”, reforçou.

Outro assunto explanado pelo vereador Luis foi a criação da Secretaria de Trânsito. “Participei de um Encontro Nacional de Trânsito, em que tive a oportunidade de entender melhor a legislação e aplicabilidade. Temos muito que melhorar em nosso município”, frisou defendendo a ideia de que os recursos oriundos do trânsito devam ser aplicados na melhoria deste setor.

A escola da Nova Poxoréu também foi um dos temas debatidos, na ocasião pelo parlamentar. “Tivemos com o secretário de estado Marrafon no local. Ele pode observar a falta de estrutura, mas até agora nada foi feito. As crianças correm o risco de ser atropelada. Isso gera muita frustração, pois mostramos o problema, levamos a quem possa resolver e nada é feito”, ressaltou.

Fonte: Da Assessoria da Câmara Municipal



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News