Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereador Luis Costa ressalta em tribuna que a política não é politicagem



“Quando os trabalhos desenvolvidos pela prefeitura vão bem, eu falo na tribuna, nas redes sociais, também apoio as ações voltadas para o povo. Se é para fazer o bem a nossa cidade, sou parceiro do prefeito. Mas quando há indagações para serem esclarecidas, não posso me calar, preciso de respostas, porque todos vocês Primaverenses tem o direito de acompanhar a nossa gestão pública”. Explica o vereador Luis Costa.

Da Redação

Vamos relembrar! Quando o político é eleito ele tem o dever e a obrigação de realizar algo que vá beneficiar a população, honrar os compromissos e as pessoas que o escolheram, fiscalizar e lutar por políticas públicas de qualidade para o povo. Essa definição simples é considerada um ato político.

Já a politicagem são atos antiéticos, que visam o benefício próprio e não a sociedade, são ações de politiqueiros que querem se dar bem às custas do povo. Fazendo intrigas e levantando notícias falsas. Esse exemplo exposto acima foi dito durante discurso na tribuna na sessão ordinária de ontem (07), pelo vereador Luis Costa (PR), que explicou a população sobre sua função enquanto vereador. “Eu disse e vou repetir, eu não tenho lado político, meu lado é o povo, são os senhores e as senhoras que necessitam dos serviços públicos”.

Depois da sua fala na quarta-feira passada, durante a sessão (02), alguns políticos e simpatizantes, questionaram Luis Costa sobre a verificação e fiscalização de processos licitatórios da prefeitura de Primavera do Leste. O legislador respondeu as indagações.

“Se eu receber alguma denúncia ou irregularidade que está ocorrendo dentro do poder público, seja qual for o setor, é meu papel investigar, solicitar requerimentos com explicações. Na semana passada eu protocolei um requerimento que peço informações sobre o processo de licitação que irá contratar uma empresa que prestará serviços de auxílio e apoio aos alunos com necessidades especiais, com atendimento em unidades escolares de nosso município. Diante do exposto fui procurado por alguns para saber por que estou fazendo isso. Mas como assim? Eu sou fiscal do povo, e se a empresa classificada pela licitação é a que ofereceu o trabalhou pelo valor mais alto, quero saber por que as outras foram desclassificadas”.  Ressalta Luis Costa.

O vereador diz ainda que, em nenhum momento falou o nome das empresas que estão concorrendo e que apenas citou os valores. Também mencionou que alguns pais de alunos da Associação Amigo dos Autistas (AMA) citaram em rede social o nome de uma das empresas, sendo do setor de limpeza.

“Eu não fiz nenhuma politicagem para dizer que estou desempenhando meu papel. Eu não estou fazendo politicagem. Se o povo me elegeu eu preciso fiscalizar. E Se existe um processo de licitação em andamento e alguns dados não estão de acordo, precisamos entender este processo. Se o valor da empresa qualificada está tão alto assim, em relação ao valor pago normalmente, tem alguma coisa errada. Em nenhum momento fiz reunião com a AMA ou falei com pais sobre este processo de licitação. Estou aqui porque quero que os auxiliares educadores possam entender e compreender essa função, e assim serem capacitados, para dar uma educação de qualidade aos vossos filhos. Quero que fique claro que não estou fazendo politicagem com pais de alunos”. Menciona.

Luis Costa lamenta em estar sozinho nesta luta pela clareza e investigação em relação aos trabalhos do executivo. Infelizmente o vereador diz que não consegue fiscalizar ao mesmo tempo todos os setores, mas está a disposição da sociedade que deseja buscar junto com ele a transparência pública.

“Quando os trabalhos desenvolvidos pela prefeitura vão bem, eu falo na tribuna, nas redes sociais, também apoio as ações voltadas para o povo. Se é para fazer o bem a nossa cidade, sou parceiro do prefeito. Mas quando há indagações para serem esclarecidas, não posso me calar, preciso de respostas, porque todos vocês Primaverenses tem o direito de acompanhar a nossa gestão pública”. Explica.

Por várias vezes o vereador foi a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), para atender o cidadão, que questiona a falta de médicos, ou outros problemas, e esse é um dos trabalhos de acompanhamento que Luis Costa realiza.

“Eu quero fazer o melhor para a população, o melhor para Primavera do Leste, e em nenhum momento estou ou fiz politicagem, porque eu faço política para a população. Meu lado não é A e nem B, é o povo e por isso, vamos lutar juntos por melhorias na saúde, na educação, e ninguém, seja eu, ou qualquer morador, irá ficar impedido de falar ou reivindicar. Como eu disse na sessão passada, não tenho problemas se as minhas indicações não forem atendidas, mas eu quero que saibam que estou aqui para fazer o melhor para a população, porque meu lado político é o povo”.  Finaliza o vereador Luis Costa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Mulher confessa homicídio do esposo e mistério termina sobre desaparecimento


O delegado Flávio Leonardo, responsável pela investigação do desaparecimento de Edvan Moreira, falou sobre o homicídio e forneceu atualizações cruciais sobre o caso. O que inicialmente parecia um mistério envolvendo o sumiço de Edvan, ganhou novos contornos após intensas diligências e avanços nas investigações conduzidas pela Polícia Civil.

Edvan Moreira, residente em uma fazenda a aproximadamente 50 km do centro de Canarana, teria saído para cidade no dia 7, conforme relatos iniciais. No entanto, a descoberta da motocicleta da vítima na própria fazenda, em uma área de mata a cerca de 5 km de distância, levantou suspeitas sobre o desaparecimento.

“Localizamos a motocicleta da vítima em uma área de mata próxima à fazenda onde trabalhava. No entanto, estava claramente evidente que ela havia sido deliberadamente jogada em um rio para dificultar sua localização”, explicou o delegado Flavio Leonardo.

A reviravolta no caso ocorreu quando a esposa de Edvan, após ser submetida a uma nova entrevista como parte das investigações, confessou o homicídio. Ela admitiu ter disparado três tiros contra o marido, ocultando seu corpo e a motocicleta em locais distintos, distanciados da fazenda.

“Após a execução do homicídio, a suspeita utilizou uma máquina para transportar a motocicleta de Edvan e seu corpo para locais distantes da propriedade, em uma tentativa de dificultar a descoberta”, acrescentou o delegado.

A colaboração da esposa de Edvan foi fundamental para a identificação do local onde o corpo foi ocultado. As autoridades realizaram uma inspeção no local indicado, que foi confirmado pela Polícia Técnico-Científica como o local do crime.

Além disso, a polícia está investigando a possibilidade de que a suspeita tenha recebido ajuda para ocultar os objetos e o corpo da vítima, dadas as características do local de descarte da motocicleta.

A arma do crime, uma espingarda, foi apreendida pela polícia como parte das evidências. Agora, as autoridades conduzirão exames de DNA para confirmar a identidade do corpo encontrado e prosseguirão com as acusações de ocultação de cadáver e homicídio contra a esposa de Edvan.

O delegado Flávio Leonardo encerrou a coletiva reiterando o compromisso da Polícia Civil em buscar a verdade e garantir que a justiça seja feita para Edvan Moreira e sua família. O caso continua em andamento, com as autoridades empenhadas em esclarecer todos os detalhes e possíveis cúmplices envolvidos nesse trágico desfecho.

Araguaia FM


Antenado News