Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereador Carlinhos Instrutor solicita agilidade para o recebimento da emenda de 30 mil reais destinado para a saúde



Da Redação

O vereador Carlinhos Instrutor (PSD) já falou várias vezes na tribuna durante as sessões, sobre a importância da Secretaria de Saúde de Primavera do Leste adquirir mais três aparelhos eletrocardiógrafos para atender toda a população.

Na última sessão, 18, o vereador disse que já foi a Cuiabá saber por que até hoje uma emenda parlamentar destinada para a compra dos aparelhos, ainda não chegou à conta da saúde. “Diante da necessidade, pedimos a emenda parlamentar para a deputada Janaina Riva (PMDB) que nos atendeu, e desde o inicio do ano estamos esperando chegar essa emenda. A secretaria de saúde disse que o Conselho de Saúde já sinalizou de forma positiva a destinação do dinheiro, falta agora a Comissão Intergestores Regional (CIR) dar o parecer. Eu entendo que a instabilidade política atrasou o processo, mas não dá para esperarmos mais”.

Carlinhos disse ainda que hoje o município conta com apenas um aparelho para fazer os eletro cardiogramas, e que não funciona bem.  A perspectiva do vereador é que com a chegada da emenda e a compra de mais três aparelhos, a secretaria irá conseguir zerar a demanda existente.

E por falar em saúde, o vereador Carlos Instrutor, fez sua fala na sessão da segunda, chamando atenção das autoridades, da classe política e sociedade civil organizada em relação à festa “Prima Fest Show”. De acordo com o legislador a festa foi muito boa, mas seu questionamento foi que, para a organização da festa o empenho foi total, e muito rápido, agora para conseguir a emenda de 30 mil reais para comprar três máquinas novas para fazer exames, aí o desenrolar tem sido outro.

Também outro apontamento feito pelo legislador foi sobre a destinação dos alimentos arrecadados pela organização do “Prima Fest Show”. “Nós fomos até o parque de exposição, saber quantos alimentos foram arrecadados e também como seria a entrega dos alimentos. Isso é fiscalizar, é nosso papel, enquanto legislador. Os organizadores que estavam lá nos receberam com educação, mas não nós deram respostas. Precisamos saber sobre a distribuição dos alimentos, porque a festa aconteceu com dinheiro público, como será a prestação de contas”.

Depois da fala do vereador, na terça-feira, 19, a comissão organizadora se reuniu e entregou todos os alimentos já em cestas básicas para a Secretaria de Promoção Social para fazer a entrega dos alimentos a famílias carentes, como prestação de contas da festa.



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News