Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

política

Vereador Luis Costa cobra condições de trabalho para fiscais que atuam na patrulha do sossego



Da Redação

Durante a sessão ordinária desta segunda (13), o vereador Luis Costa (PR), falou sobre a sua participação na última sexta (10), junto com os fiscais da patrulha do sossego nas chamadas noturnas. Os fiscais realizam atendimento a população com chamadas de denúncias de som alto e perturbação do sossego.

“Gosto de trabalhar indo em loco para verificar as demandas de nosso município e na última sexta estive com os fiscais da patrulha do sossego que foram chamados por perturbação em vários bairros da cidade, sendo nos Bairros Parque Eldorado, Poncho Verde, Castelândia, Pioneiro, entre outros. O plantão, que por parte dos fiscais estava tranqüilo, em minha opinião foi agitado, e pude perceber que as pessoas não têm respeitado as leis e a noite se torna uma verdadeira baderna e desordem em relação ao som alto”. Afirma.

Luis Costa andou nas viaturas e ressaltou na sua fala que os veículos estão sem condições de uso, e precisam de reparos. Um dos problemas apontado pelo vereador foi à falta de farol em um dos carros. O legislador cobra o executivo mais estrutura para que os fiscais possam trabalhar de maneira digna.

“O executivo precisa se atentar mais as condições de uso desses veículos, já que os plantões dos fiscais são nos finais de semana e a noite. Não dá para circular com carros estragados e sem farol. No sábado um dos veículos ficou encostado porque deu problema na embreagem. Nós vereadores precisamos cobrar o prefeito, como tenhamos cobrado em relação à estrutura da Coordenadoria Municipal de Trânsito Urbano (CMTU). Estamos repassando parte do duodécimo a Prefeitura para a compra de um veículo a CMTU, e esses carros são importantes para o deslocamento dos agentes de trânsito como também dos fiscais, que precisam estar em condições de uso”. Explica.

O legislador chamou atenção dos colegas em tribuna dizendo que, quando a população liga reclamando do som alto e pede ajuda a Casa de Leis, é necessário que todos os vereadores se unam e ajudem a lutar por melhorias de trabalho a estes servidores municipais.

“Não temos boas condições de trabalho na CMTU, e olha como está o trânsito de nossa cidade. Esperamos aqui há meses sair uma licitação de melhorias para o trânsito de nossa cidade, para termos mobilidade urbana, e até o momento nada. Fiz inúmeras indicações solicitando redutores de velocidade, sendo quebra-molas, mas também não estamos sendo atendidos” Ressalta Luis Costa.

Costa citou o acidente que aconteceu no inicio da semana e disse que já pediu por meio de indicação e o ofício um quebra-molas na Avenida Paraná com a MT-130, como tantos outros, e afirmou que essas medidas são solicitadas pelos vereadores porque são eles que estão nas ruas, recebendo os pedidos da população.

“O executivo precisa nos ouvir, e entender que estamos vendo o que está faltando em nossa cidade. Nós somos representantes da população e quando fazemos uma solicitação é para a nossa cidade, nossa comunidade e não é para o vereador, todas as melhorias é para o cidadão. Precisamos que o executivo tenha um olhar sensível e atenda as reclamações, principalmente as que dizem respeito ao nosso trânsito, para que assim possamos evitar acidentes e salvar vidas”. Conclui.



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News