Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Câmeras de segurança flagram bate-boca entre delegado e ex-secretário de Segurança de MT em supermercado



Imagens feitas por duas câmeras de segurança do estacionamento de um supermercado registraram o bate-boca entre o delegado Flávio Stringuetta, que investigou o caso dos grampos telefônicos clandestinos, e o ex-secretário estadual de Segurança Pública (Sesp-MT), Rogers Jarbas, que chegou a ser preso por suspeita de tentar atrapalhar as investigações. Os doisregistram boletins de ocorrência sobre as supostas ameaças.

A reportagem teve acesso às imagens com exclusividade. Nas filmagens, é possível ver o momento em que o delegado Flávio Stringuetta, que está de camisa vinho, passa pelo caixa. O delegado afastado e ex-secretário Rogers Jarbas, que usa camisa vermelha, se aproxima também levando um carrinho.

Na sequência, Striguetta sai e Jarbas passa as compras dele. Ele olha várias vezes em direção ao lado onde Stringuetta saiu do mercado, paga as compras e larga tudo no caixa. Em seguida, outra câmera já mostra Stringuetta montado na moto dele, com um capacete branco.

Depois, Jarbas aparece na imagem seguindo em direção a Stringueta. Os dois parecem discutir por alguns minutos e Stringueta chega a sair da moto e abrir os braços.

Interceptações clandestinas

Striguetta foi um dos delegados responsáveis pelas investigações do esquema de interceptações clandestinas que teria monitorado ilegalmente dezenas de telefones em Mato Grosso, entre 2014 e 2015.

Rogers Jarbas é acusado de tentar obstruir essas investigações e, de acordo com a ação que corre no Superior Tribunal de Justiça (STJ), teria usado o cargo para coagir delegados. Além disso, o ex-secretário teria participado de um plano para instalação de uma microcâmera em uma farda, para espionar o desembargador Orlando Perri, que era relator do caso dos grampos no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT).

Outro lado

Rogers Jarbas nega ter feito ameaças ao delegado Flávio Stringuetta. O ex-secretário chegou a ser preso, mas foi liberado. Mesmo assim, tem restrições: não pode ter contato com outros acusados, testemunhas ou servidores públicos que fizeram parte das investigações.

Por meio de nota, os advogados de defesa de Jarbas afirmaram que, de fato, o ex-secretário e o delegado Flávio Stringuetta tiveram contato em um supermercado na semana passada, mas que Rogers não ameaçou e não propôs confronto contra Stringuetta. A defesa diz que foi Stringuetta quem propôs a briga.

A reportagem ainda questionou a defesa do ex-secretário sobre ele ter buscado contato com um delegado envolvido na investigação dos grampos. Pelo entendimento dos advogados, as medidas restritivas impostas pela justiça não impedem que Rogers Jarbas fale com Stringuetta.

Fonte: G1 Mato Grosso



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Mulher confessa homicídio do esposo e mistério termina sobre desaparecimento


O delegado Flávio Leonardo, responsável pela investigação do desaparecimento de Edvan Moreira, falou sobre o homicídio e forneceu atualizações cruciais sobre o caso. O que inicialmente parecia um mistério envolvendo o sumiço de Edvan, ganhou novos contornos após intensas diligências e avanços nas investigações conduzidas pela Polícia Civil.

Edvan Moreira, residente em uma fazenda a aproximadamente 50 km do centro de Canarana, teria saído para cidade no dia 7, conforme relatos iniciais. No entanto, a descoberta da motocicleta da vítima na própria fazenda, em uma área de mata a cerca de 5 km de distância, levantou suspeitas sobre o desaparecimento.

“Localizamos a motocicleta da vítima em uma área de mata próxima à fazenda onde trabalhava. No entanto, estava claramente evidente que ela havia sido deliberadamente jogada em um rio para dificultar sua localização”, explicou o delegado Flavio Leonardo.

A reviravolta no caso ocorreu quando a esposa de Edvan, após ser submetida a uma nova entrevista como parte das investigações, confessou o homicídio. Ela admitiu ter disparado três tiros contra o marido, ocultando seu corpo e a motocicleta em locais distintos, distanciados da fazenda.

“Após a execução do homicídio, a suspeita utilizou uma máquina para transportar a motocicleta de Edvan e seu corpo para locais distantes da propriedade, em uma tentativa de dificultar a descoberta”, acrescentou o delegado.

A colaboração da esposa de Edvan foi fundamental para a identificação do local onde o corpo foi ocultado. As autoridades realizaram uma inspeção no local indicado, que foi confirmado pela Polícia Técnico-Científica como o local do crime.

Além disso, a polícia está investigando a possibilidade de que a suspeita tenha recebido ajuda para ocultar os objetos e o corpo da vítima, dadas as características do local de descarte da motocicleta.

A arma do crime, uma espingarda, foi apreendida pela polícia como parte das evidências. Agora, as autoridades conduzirão exames de DNA para confirmar a identidade do corpo encontrado e prosseguirão com as acusações de ocultação de cadáver e homicídio contra a esposa de Edvan.

O delegado Flávio Leonardo encerrou a coletiva reiterando o compromisso da Polícia Civil em buscar a verdade e garantir que a justiça seja feita para Edvan Moreira e sua família. O caso continua em andamento, com as autoridades empenhadas em esclarecer todos os detalhes e possíveis cúmplices envolvidos nesse trágico desfecho.

Araguaia FM


Antenado News