Primavera do Leste / MT

HOME / NOTÍCIAS

Polícia

Morador de rua suspeito de ameaçar criança em banheiro de igreja é agredido em praça e detido



O morador de rua Antônio Carlos de Oliveira Bernardo, suspeito de ameaçar um menino de 8 anos no banheiro da Igreja Nossa Senhora do Bom Despacho, no último domingo (5), foi detido nesta quarta-feira (8). Segundo a Polícia Civil, Antônio foi levado para a delegacia após ser detido na Praça Ipiranga, região central de Cuiabá.

A polícia havia sido acionada  para atender a ocorrência de um homem que era agredido por populares na Praça Ipiranga.

Durante atendimento, foi verificado que a vítima das agressões era o suspeito de ter ameaçado o menino na igreja. Antônio foi levado para a delegacia, onde foi ouvido. O conteúdo do depoimento, não foi divulgado.

Na segunda-feira (6), o padre Kleberson Paes de Silva, responsável pela igreja, esteve na Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica) e registrou um boletim de ocorrência.

Ele relatou que o fato ocorreu por volta de 11h e que o menino havia ido ao banheiro desacompanhado.

Segundo o padre, após ser socorrido, o menino estava assustado e dizia que o homem havia o ameaçado de morte.

O caso

A ameaça passou a ser investigado pela Polícia Civil após denúncia de um dos padres da igreja.

Nas imagens do circuito de segurança da igreja, é possível ver o momento em que o homem passa pela lateral do templo, no pátio dos fundos.

Ele caminha até determinado ponto, para, encosta em uma mureta, observa, entra no banheiro e fecha a porta. A criança já estava dentro do banheiro. Quase quatro minutos se passam, até que um ‘coroinha’ sai correndo e vai até a porta do sanitário.

Ele bate na porta, empurra, até que a porta se abre e o menino sai. E ele caminha rápido ao lado do ‘coroinha’ com a mão sobre o peito, demonstrando estar assustado. O homem sai em seguida, atrás dos dois.

Fonte: G1 Mato Grosso



COMENTÁRIOS

0 Comentários

Deixe o seu comentário!





*

HOME / NOTÍCIAS

Região

MPMT requer interdição de cadeia pública feminina de Cáceres


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Cáceres, requereu no final da tarde desta quinta-feira (22) a interdição da cadeia feminina do município. A medida foi tomada em razão da existência de infiltrações estruturais e alto risco de incêndio na unidade prisional. O pedido foi direcionado à 1ª Vara Criminal da Comarca de Cáceres.

De acordo com o MPMT, a cadeia feminina do município não possui Alvará de Segurança Contra Incêndio e Pânico (ASCIP) do Corpo de Bombeiros. Inspeções realizadas no local demonstram uma série de problemas estruturais na unidade, como falta de sistemas de hidrante, de saídas de emergência, de alarme de incêndio, entre outros.

Conforme laudo técnico das instalações elétricas do edifício, encaminhado ao Ministério Público pelo Conselho de Segurança, as “instalações estão em péssimas condições de conservação, com risco gravíssimo de acidentes à população carcerária e aos profissionais da segurança pública responsáveis pelo local, proporcionando alto grau de risco de incêndio a qualquer momento”.

Segundo o promotor de Justiça Marcelo Linhares Ferreira, o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do MPMT também realizou inspeção técnica na unidade prisional, constatando inconformidades em toda a edificação que interferem diretamente na segurança dos usuários.

“O quadro existente no estabelecimento prisional fere os mais básicos direitos fundamentais do homem, sendo que a medida de interdição visa a resguardar a dignidade da pessoa humana e a proteção de risco à vida e à integridade física das presas”, destacou o promotor de Justiça.

por CLÊNIA GORETH

 

Antenado News